domingo, 19 de maio de 2019

Sem novidades...

     Olá.

     A dieta ABC foi seguida por mim até o 15º dia, quando eu me pesei e vi que permanecia nos 67 kg. Em 15 dias de ABC Diet, eu eliminei só 4kg. E sim. Eu digo só, pois antes, eu eliminava 4 kg em 8 dias. Em 15 dias seriam quase o dobro de peso eliminado... E eu sei o que deu errado dessa vez: aquela festa que fui, na qual bebi e quebrei a dieta, provavelmente estragou todo o progresso da ABC que eu tinha conseguido até então, fazendo com que eu voltasse para a estaca zero. Sendo assim, eu desisti da dieta e fiquei apenas... Sei lá, não fazendo dieta nenhuma. Desde então, no sábado passado, eu sai e bebi. E nesse sábado eu sai outra vez e bebi outra vez. E sigo assim, até agora. Mas a realidade é que não quero sair, não quero beber, não quero engordar. Quero ficar em casa, comer o mínimo para seguir com minhas coisas e emagrecer. E é o que vou fazer.

     Quinta-feira também me ocorreu outro "treco". Eu costumo chamar de "treco" minhas crises extremas de ansiedade. Assim eu nego para mim mesma de que tenho algum problema. De qualquer forma, para quem não lembra, em abril do ano passado, nas minhas férias, eu fui ao ps do convênio pela primeira vez porque pensei estar infartando. Que ridícula... Acabou que era só mais um treco. Foi minha primeira crise feia e pensei que seria a última. E foi... Até essa quinta-feira. Só que dessa vez, desempregada, eu fui até o posto de saúde mesmo. Chegando lá, eu já estava mais calma e falei para a moça que me atendeu que provavelmente eu só estava surtando mesmo, mas queria me certificar de que meu coração estava ok. Bem assim, direta e realista. Deixei até um pessoal passar na minha frente, pois eu sabia que não estava infartando, mesmo que um lado de mim dissesse o contrário. Acabou que eu fiz um eletrocardiograma, mediram minha pressão e por fim tomei diazepam. A moça me passou uma guia para um psicólogo, dizendo que ele providenciaria a guia para um psiquiatra e recomendou uma tal de "papoterapia" também. Eu agradeci e fui embora... Sinceramente, eu fiquei morrendo de vergonha e me senti bem constrangida, por fazer tanto alarde só por culpa de um "treco" psicológico. Por favor, não me levem a mal! Qualquer pessoa que me diga que tenha crises de ansiedade ou qualquer outro tipo de transtorno psicológico, eu vou encarar seu problema como se fosse super válido. Nunca irei diminuir seus transtornos psicológicos e sempre recomendo que busquem ajuda. Mas eu? Faça-me o favor... Eu não tenho tempo e nem disposição para ter problemas psicológicos. Eu não posso ter problemas psicológicos. Vocês entendem? Não posso. E não terei. Podem dizer que isso não é algo que eu possa escolher, mas eu decido que posso escolher sim. Sou arrogante? Sou e nunca neguei. Se chegar a ter outro "treco", já estarei mais preparada, sabendo que é só coisa da minha cabeça. Eu consegui ver a semelhança entre ambos ocorridos: o do ano passado e esse de agora. No primeiro, eu estava trabalhando muito e de repente, entrei de férias. Acho que minha cabeça não estava preparada para "descansar" e se desligar de todo o estresse e aí entrou em pane. Dessa vez, eu estou desempregada, são 3 meses já sem trabalhar. Minha mente estranhou o ócio e falta de estresse no ambiente de trabalho, e entrou em pane outra vez. Assim sendo, percebo agora que tenho que manter minha mente ocupada e uma rotina com afazeres, por mais banais que sejam. Não posso deixar minha cabeça parar do nada, sem coisas para se estressar, pois caso contrário, ela surta... É fácil compreender certas coisas com uma breve autoanalise, não?

     Enfim... Só estou contando essas coisas, pois acho necessário registrar tudo aqui e também manter atualizado sobre a dieta ou falta dela. Espero voltar em breve com notícias melhores e algo mais divertido. Mas por hora, é só... ♥

     Beijinhos. ;*

5 comentários:

  1. Já tive várias crises de ansiedade. E mesmo quando sei que é apenas mais um surto, insisto em ceder aos pensamentos catastróficos de morte etc...
    Comigo é o contrário, justamente o ambiente estressante é o que me leva à um desencadear de surtos.
    Eu também detesto tudo isso. Sou pobre e praticamente sem nenhum tipo de compreensão ou apoio. Uma verdadeira fodida, que não poderia jamais ter problemas psicológicos. Mas tenho.
    Se já busquei ajuda? Sim, algumas vezes para outros tipos de "problemas" inteiramente ligados a mente perturbada. Em outra, busquei uma psicóloga aparentemente bem menos informada que eu...
    Espero que você fique bem! Não deixe de buscar tratamento, já que tens essa oportunidade. Pense que vai dar certo, e que você vai se livrar disso.

    Desejo que tudo corra bem. E espero que consiga retomar a dieta (ou fazer uma nova)!

    ResponderExcluir
  2. Oi linda! É a primeira vez que venho no seu cantinho! Tinha outro blog mas excluiram =(
    Já fui para o hospital com uma amiga assim e lá o medico disse que era muito estresse. Achei q ia perde-la que estava infartando. É complicado.
    Já fiz a ABC, mas não me dou bem com restrições desse tipo, no final tenho compulsão e frustração. Estou aprendendo a reconhecer meus gatilhos. Agora faço a flexível. Dá uma passadinha no meu cantinho!
    Vou te seguir a partir de hoje! Bjss

    ResponderExcluir
  3. Ai senhorita Roxy, eu te passaria um sermão sobre sua conduta em relação ao seu próprio transtorno, porém penso exatamente do mesmo jeito.
    Eu aprendi a lidar com meus surtos, eu penso que vou morrer ou explodir na hora mas depois controlo porque isso não cabe na minha vida.
    Então eu sigo, digo para mim mesma parar de besteira e lá vou eu com minha vida, sabendo que uns 2 meses depois terei outro evento com o qual terei que lidar novamente.
    Queria um cérebro novo.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Roxy!

    Sofro deste e outros males, sei o quanto é constrangedor. Ninguém escolhe ter essa doença desgraçada.
    Também sinto nestas ocasiões dor no tórax, falta de ar, sudorese, pressão alta ao ponto dos pulsos doerem e uma enxaqueca miserável.
    Engraçado é que nunca tentei salvar a minha vida, fico ''agonizando'' em silêncio, esperando a natureza fazer o seu trabalho. Já o meu marido fica bem desesperado, porque nego-me a aceitar ajuda médica.
    Minha maior decepção é não morrer depois de todo o apocalipse, e de quebra passar a semana pós crise com dores, como se tivesse levado marretadas nos seios, na nuca, na cabeça, nos pulsos e tornozelos...Frustrada, but não surpresa comigo.

    Costumo dizer que dietas são sacrifícios, e ninguém consegue viver permanentemente em sacrifício!
    Houve uma perda de peso, não atendeu suas expectativas, é verdade, mas não diminua sua conquista.
    Foram 4 quilos eliminados, orgulhe-se, sim?
    Recomece quantas vezes for necessário até chegar ao seu objetivo! Nada de esmorecer!


    Cuide-se!

    ResponderExcluir
  5. Beber é o que me mata também! Sinto meu estômago pesar e ficar maior no primeiro gole.
    Minhas crises da ansiedade eu geralmente apenas defino como "falta de ar". Só não tem oxigênio suficiente, nem é o meu cérebro não. Te entendo bem, nem todos podemos procurar ajuda.
    Beijos, Queen B.

    ResponderExcluir

Sobre os últimos dias que passaram e sobre a esperança para os que virão.

     Olá.      Eu não sei por onde começar... Tenho pensado em tantas coisas nos últimos dias - digo, desde o último post e etc -, que foi...