domingo, 18 de fevereiro de 2018

67,300 kg.

     Mesmo peso de 11/10/2017.

     Estranho ter engordado (pois estava com 65 kg) e ainda assim minha calça 42 estar mais larga que antes. Acho que a calça estragou na última lavagem, ou está ficando desgastada, aí ela começa a lacear... É bem possível. Afinal, eu estou saindo do ciclo menstrual hoje. Logo, é fato que estou mais gorda.

     Preciso voltar a emagrecer se quero realmente chegar aos 50 kg esse ano. Mas é engraçado dizer isso com tanta convicção ao mesmo tempo em que bebo uma cerveja... Sinceramente, eu não vejo mais sentido em chegar aqui e ficar falando as mesmas coisas de sempre. Os últimos posts foram apenas isso: eu dizendo que devo emagrecer, parar de beber e de fumar. Esse é o último post que falo sobre isso. Pois cansei. E mesmo que sinta que não tenho muito a dizer além dessas mesmas malditas coisas, prefiro então não dizer mais nada. Ou apenas chegar aqui e fazer meus 2 posts por mês com qualquer conteúdo e pronto. Mas não falarei mais sobre isso. Que esteja dito.

     Essa semana eu vou tentar fazer tudo direito. Apenas comer no almoço, como costumo fazer. Apenas legumes com no máximo ovo ou alguma carne básica... Mas sem besteiras, porque dessa forma eu acabo voltando para os 70 kg num piscar de olhos e é óbvio que isso é o que menos desejo...

     Acho que é só. No mais, apenas tenho trabalhado, assistido Netflix vez ou outra, escutando música no restante do tempo em que não estou dormindo ou jogando. É apenas isso que faço no meu tempo livre...

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Antes que termine o mês...

     Eu precisava postar uma vez mais antes do mês terminar. Uma das minhas metas desse ano é postar ao menos duas vezes ao mês. Então me obriguei a aparecer por aqui outra vez.

     Esses dias eu não tenho me empenhado muito na dieta. Isso não significa que estou comendo mais que antes, apenas significa que não tenho escolhido muito bem o que comer. Preciso retomar a dieta para voltar a emagrecer, pois estagnei nos 65,200 kg/66,400 kg, o peso nunca sai disso e eu sei os motivos. Se eu voltar a focar na dieta, volto a emagrecer, simples.

     Antes de me deitar vou tomar vinho. Tenho bebido mais que antes. Beber engorda e por isso preciso parar com isso. Estou pensando seriamente em procurar um médico para conseguir parar de fumar também... Mas é complicado. Para isso eu tenho que estar 100% determinada a parar com o cigarro. E atualmente eu estou bem 50%... Quando meu maço está cheio até chegar ao final, faltando uns 4 cigarros para acabar, eu sempre digo: "Quando esse maço terminar, não comprarei outro e vou parar de fumar.", mas assim que ele acaba é tipo: "Ok. Acho que vou comprar só mais um maço, mas depois desse é certeza que eu paro! Promessa!", e o mesmo se segue já faz um bom tempo. Ou seja, quando eu tenho cigarros, eu quero parar de fumar, mas quando não os tenho, eu os quero... Queria que fosse mais simples. Querer algo definitivamente ou não querer definitivamente também. Ponto. Eu sou tão 8 ou 80 para a maioria das coisas, mas para o que realmente importa eu sou sempre "nem lá, nem cá". É ridículo. Eu já disse que pararia de beber também... Umas mil vezes. E comecei esse parágrafo dizendo o que? Que daqui a pouco vou beber! É um absurdo...

     Enfim. Vou retomar o foco amanhã. Pois esse ano eu tenho que chegar aos 50 kg! Menos 15 kg é a meta de 2018. Ano passado eliminei quase isso... Comecei com 82/84 kg, se me lembro bem, e terminei com 65,200 kg. Eliminando um pouco mais de 15 kg. Então acredito que seja possível repetir o mesmo esse ano. Só depende do meu esforço.

     Até.

sábado, 13 de janeiro de 2018

2018

     O ano começou e eu nem percebi. Quero dizer, eu sabia que era 2018, mas não me sentia e ainda não me sinto como se estivesse realmente aqui. Tenho passado pelos dias me arrastando. Não quero dizer de maneira sofrida, pois não sofro. Mas sim de maneira cansativa e exaustiva. Eu não consigo fazer nada além de trabalhar - e não porque trabalho demais, mas sim porque trabalhar já exige demais do que consigo dar. Quando estou em casa, só quero ficar deitada, com meus cachorros. Mas eu me forço a ler e a jogar, pois são coisas que eu supostamente amo fazer.

     A dieta hoje deu adeus, pois comi besteiras e bebi mais de 4 cervejas e ainda estou bebendo enquanto escrevo esse post. Minha folga acabou (eu folgo toda sexta-feira). Hoje já tenho que ir trabalhar. Fiquei sabendo por uma mensagem no Whatsapp que um novo gerente chegou. Estava na hora, pois desde Outubro/Novembro que a loja está sem gerente. Espero que ele não seja bunda-mole e tenha um mínimo de pulso firme para cortar as asas de funcionários que costumam fazer corpo mole.

     Amanhã será um novo dia. Espero seguir a dieta direito amanhã. Também espero conseguir tomar banho e lavar o cabelo. Mas essa última parte é a mais fácil de cumprir, já que não me deixo ir trabalhar com a aparência comprometida pelo meu desânimo. Afinal, eu trabalho com o público e tenho que manter as aparências. Espero dar um jeito nas coisas esse ano, sabe? Não por ser "um novo ano", mas sim porque já deu a hora há muito tempo atrás de eu dar um jeito nisso... Quero dizer... Voltar para a faculdade, voltar a fazer as unhas (hoje em dia eu apenas corto elas e ás vezes tiro a cutícula, mas só quando já está feia mesmo), ou o mais importante: voltar a tomar banho todos os dias. Eu sei que vocês devem estar como "nojinho" por ler isso, mas que a verdade seja dita de uma vez por todas. Há quase 4 anos (isso se já não tiver completado 4 anos, não sei, pois evito contar o tempo de derrota) eu não consigo mais tomar banho todos os dias. Tomo hoje, depois não tomo, aí tomo de novo, depois não tomo outra vez... E por aí vai. As pessoas que moram comigo simplesmente nunca tocaram nesse assunto e aceitaram o fato como "mais uma das tantas manias da Roxy". É assim que eles chamam tudo... Quando eu era mais nova e minha mãe me pegou forçando o vômito, ela deu aquela "surtada" típica de algumas mães, mas depois preferiu chamar de mania. Assim como hoje em dia define minhas dietas e restrições alimentares: manias da Roxy. Ela chama meu vício em cigarro de mania também...

     Parecer soar melhor, não é? Mania de fumar x Viciada em cigarro. A palavra "vício" é feia e denota fraqueza. Você é fraca por possuir dependência em algo. Seja o que for. Dizer que você sente tanto desânimo ao ponto de não conseguir nem tomar banho todos os dias, pois isso exige um esforço bem grande da sua força de vontade (que é quase equivalente ao nada, é nula), que você não está disposto a se esforçar tanto assim... Desânimo x Falta de vontade/Preguiçosa. Parece ser mais digno me assumir como uma preguiçosa e dizer que deixo de fazer certas coisas porque simplesmente não quero e prefiro procrastinar, ao invés de dizer que me sinto tão derrotada, cansada, sem energia, desanimada, quebrada, apática... Enfim... Assumir que não faço certas coisas porque elas simplesmente exigem mais de mim do que posso oferecer nesse momento e nos últimos mais de 3 anos que se passaram. É como se eu fosse me tornar pior do que já sou caso assuma isso para alguém. E sim, eu estou assumindo certas coisas aqui, mas aqui não é minha vida real. Por mais que eu relate minha vida por aqui, eu não me comporto completamente igual a como me comporto no mundo "real". No mundo real eu vivo de aparências. E desde que as pessoas não saibam de nada e/ou consigam ignorar certas "manias" minhas, estará tudo bem. O que narro e assumo nesse blog não causa impacto na minha vida. Por isso não tem problema assumir certas coisas por aqui...

     Enquanto isso, eu vou me afundando como eu posso dentro de mim mesma, para que ninguém do lado de fora seja obrigado a lidar com "isso" que eu sou. "Isso" que me tornei. Eu, ao contrário do que muitas pessoas afirmam sentir sobre si mesmas, reconheço à mim mesma quando olho no espelho. E é aí onde mora o meu problema. Quando você vê merda refletida diante do espelho, mas não reconhece o que vê, você logo assume aquela imagem como não sendo você e sendo algo que te consumiu, mas que não define sua real essência, talvez porque ainda reste um pouquinho de ti lá dentro e você imagina que possa retomar o controle sobre si algum dia... Agora, quando você observa a mesma merda refletida no espelho, mas reconhece tal imagem como sendo você mesma, você assume que é merda. O bom de saber o que se é, é que você também pode mudar, assim como no primeiro caso que citei. O único problema é fazer sua cabeça entender que você pode ser melhor do que merda. Você DEVERIA ser melhor. Sua obrigação era ser uma pessoa melhor do que isso que se tornou. Vocês entendem onde quero chegar, não entendem? Eu posso ser uma merda, mas não preciso morrer sendo assim, ok? Eu posso melhorar. Mas eu preciso querer ser alguém melhor e ás vezes ser uma má pessoa apenas parece mais fácil, mais simples, do que ser melhor. Provar que posso ser mais do que bosta exige mais energia e empenho da minha parte...

     Enfim... Que o 2018 de vocês seja um bom ano. De coração, isso é o que desejo-lhes. Quanto a mim? Eu estou muito bem, obrigada. Aliás, continuo caminhando com minhas próprias pernas, não? Sempre em frente. Afinal, o que importa é emagrecer e trabalhar. Enquanto eu puder e conseguir trabalhar nessa vida, eu estarei bem. Pois posso me manter e ser autossuficiente. Não dependo de ninguém. Isso é bom. Isso é ótimo. Pois se tem algo que eu aprendi na vida é que: você pode ter todos os problemas do mundo e se sentir um pedacinho de merda, mas enquanto puder funcionar em sociedade, seja trabalhando, estudando ou fazendo aquilo que é o mínimo que todos esperam de ti e de qualquer outra pessoa introduzida na sociedade convencional na qual vivemos, estará tudo bem. De verdade. Só você vê o problema. E enquanto só você estiver vendo o problema, é porque não é importante. Talvez, nem haja problema algum... É apenas coisa da sua cabeça. Mantenha a mente ocupada e tudo permanecerá "ok".

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Última postagem do ano.

     Olá.

     Hoje estou aqui para fazer uma breve atualização no blog. Afinal, esse será meu último post de 2017.

     Ainda estou com 65 kg. Sinceramente? Estou bem com esse peso, por hora. Acho que para quem iniciou o ano na casa dos 80 kg, encerrar ele na casa dos 60 kg é uma vitória tremenda, afinal, no ano passado devo ter encerrado o ano com horrendos 83/84 kg... Esse ano voltei para o blog com 80 kg. São menos 15 kg nesse corpo gordo.

     Ano que vem pretendo finalmente chegar na casa dos 50 kg e quem sabe não encerrar 2018 com 50 kg? Se eliminei 15 kg esse ano, posso eliminar mais 15 ano que vem. Sei que posso eliminar até mais, mas quero começar almejando aqui que sei ser possível. E 15 kg é mais que possível! É que, como devem saber, o difícil não é eliminar, e sim manter... Esse ano foi cheio de altos e baixos... Eu ia para os 75 kg e de repente voltava para os 80 kg. Aí chegava nos 72 kg e depois ia para 75 kg. Enfim... Uma perfeita sanfona! E claro que eu fui a culpada disso, devido meus descontroles e etc. Mas depois que cheguei nos 65 kg, o máximo que já engordei foi 1 kg, indo para os 66 e algumas gramas... Mas não voltei mais para os 70 kg. Estou bem atenta na balança, para não engordar tudo outra vez, como já aconteceu antes.

     O que planejo para o ano que vem? Bem, fazer metas é sempre bom para se manter ativo e com a mente focada em nossos objetivos. Pelo menos eu sou dessas que se não faço planos, tudo desanda e eu me perco pelo caminho... Porém, não planejo nada inalcançável. Vamos para as metas:

     - Eliminar 15 kg até o final do ano;
     - Voltar para a faculdade no meio do ano;
     - Viajar nas minhas férias, que talvez seja em abril, mas nada certo ainda;
     - Terminar de arrumar pelo menos meu quartinho na minha futura casa (que fica no mesmo terreno da casa da minha mãe e da casa do meu pai) para poder ter meu próprio canto.

     Apenas isso. Não é muita coisa, eu sei. Mas não gosto de prometer mil coisas e não cumprir nem metade delas. Essas que citei eu ao menos sei que poderei cumprir, pois só depende de mim. Não perco mais meu tempo prometendo ser alguém melhor, etc e etc. Sei que não sou um monstro e quem resolver gostar de mim, gostará por quem eu sou e não por algo que (não) finjo ser.

     Enfim... É apenas isso. Muito obrigada para todos que me acompanharam durante esse ano. Ter vocês por aqui e saber que tem gente que compreende pelo o que passo deixa tudo menos complicado. Um ótimo 2018 para todos vocês! E que no próximo ano conquistem aquilo que em 2017 não conseguiram conquistar e muito mais! Só depende da gente! ♥

domingo, 17 de dezembro de 2017

Semana do cão.

     Olá...

     Essa semana era para eu estar com 60 kg. O dia da pesagem foi dia 15. Eu estou com 66,200 kg. Engordei. O que era óbvio, pois domingo houve um encontro de família no qual teve churrasco (eu comi 3 espetinhos de frango) e bebida... A bebida é que me fodeu. Eu nem me lembro mais o quanto bebi... Só sei que foi muito. E apenas cerveja. Das 15h até ás 23h, apenas bebendo cerveja. Não bebi pouco. E honestamente? Ainda acho que engordei pouco em consideração ao quanto bebi... Afinal, no dia da última postagem, eu estava com 65,600 kg. Eu engordei apenas 600 gramas! Como isso é possível?! Se essa tivesse sido a única jacada, ok. Mas dia 06 agora eu fui na Liberdade também e comi o que não devia... E bebi umas 3 cervejas. Sim, eu estou testando minha sorte enchendo a cara de cerveja... Eu sei! Anteontem bebi vinho, ontem bebi vinho e hoje Jägermeister (bebida de origem alemã, tipo licor)... Prefiro não comentar muito sobre isso.

     Mudando de assunto... Para quem se lembra da minha postagem sobre parar de fumar, apenas para atualizar sobre o assunto: eu não consegui parar até agora. E honestamente? Meio que desisti de tentar... Quero dizer, cheguei até a comprar Nicorette e ficar alguns dias sem fumar, mas de nada adiantou. A goma de mascar ajuda sim! Mas apenas se você quiser parar de fumar, pois caso não queira, não é uma goma que irá te fazer eliminar a vontade de fumar. Enfim... Apenas achei sensato atualizar sobre esse assunto, pois já queria comentar isso faz tempo, mas sempre me esqueço. Como hoje lembrei, aí está...

     Outro assunto para comentar... Meu temperamento tem piorado muito nesses últimos tempos. Sempre comentei por aqui sobre meu afastamento das pessoas e que prefiro não ter muitos (ou nenhum, como atualmente) amigos, mas a verdade é que agora eu tenho detestado mais do que antes estar entre elas. Conviver com elas. Olhar para a cara delas. Perder meu tempo com elas. Não é algo do tipo: "que gente chata! Insuportáveis! Blá blá blá...", que muitas pessoas pensam sobre as outras mas não falam. É algo mais... Denso. Complexo. Eu sei da minha obrigação como ser humano de saber conviver com os outros de mesma espécie, mas... Eu não tenho mais gostado de ninguém. Também não tenho visto nada de bom, agradável, utilizável, algo que agregue na minha vida e me faça querer conviver mais com pessoas. Quanto mais conheço e lido com gente, mais amo e admiro meus cachorros e menos quero ficar perto de humanos. Mas sei que sou obrigada a estar perto deles. Meu trabalho e a vida em sociedade exigem isso de mim. A maioria me enoja e o pouco que não me enoja é indiferente para mim. Por fim, nas raríssimas ocasiões em que ouso no mínimo pensar em simpatizar com a cara de algum indivíduo, o lado mais perspicaz do meu cérebro já me aponta "N" defeitos para deixar de simpatizar... Ou caso a simpatia seja forte e perdure após toda a análise crítica desse meu outro lado, essa parte perspicaz faz questão de apontar "N" motivos e probabilidades de minha relação com tal pessoa resultar em merda. Seja pelo meu próprio temperamento (que não tem jeito, não vou mudar, ao menos não sozinha), seja pela personalidade e temperamento alheios, ou seja por qualquer outra coisa... Minha mente me dá milhares de motivos para eu deixar de sonhar simpatizar com alguém. Enfim... Estou comentando sobre isso apenas porque é algo que tem me cansado bastante. Talvez outras pessoas como eu se cansem menos de si próprias e se suportem mais. Mas eu? Eu estou esgotada... Pior do que não suportar aos outros e estar cansada deles, é não suportar mais a si mesma. Talvez seja por isso que eu não suporte os outros... Se não me suporto, como poderia suportar outra pessoa? É até meio que justo se pensarmos por esse lado... Eu não poderia ter muita tolerância com os outros se não tenho isso comigo mesma. Não poderia gostar muito deles se não gosto muito de mim... É. Talvez as coisas não estejam tão perdidas assim para mim. Se algum dia eu conseguir fazer as pazes comigo, talvez possa fazer com os outros. Mas a pergunta é: como fazer as pazes comigo mesma? Como gostar mais de mim, sabendo que não vou mudar? Como passar a me aceitar? Se "conformar" com a própria essência não é o mesmo que "gostar" e nem de "aceitar". Será que terapia me ajudaria?! Eu acho a ideia de fazer terapia tão ridícula... Não para os outros, pois tem pessoas que possuem grandes problemas e realmente precisam de ajuda psicológica. E eu sou do tipo que apóia as pessoas que procuram esse tipo de ajuda. Mas eu? Eu não tenho um problema digno de ajuda... Sério. Meu problema não é nenhuma patologia psicológica que um psicólogo poderia dar um jeito. Meu único problema é ser como sou. E se eu aceitasse mudar, já conseguiria modificar algumas coisas na minha vida. Mas eu não aceito mudar. Não quero mudar... Acho que é melhor ser como sou do que fingir ser quem não sou... Me assumir é melhor do que me reprimir e fingir que amo todo mundo e que gosto de conviver entre eles. Fingir que está tudo bem e que somos todos iguais e amigos uns dos outros?! Isso é ridículo... E eu sei que agora deve ter pessoas se perguntando porque a Roxy não para de reclamar e vai viver no meio do mato longe da sociedade. Pois bem... Além de me faltar meio de abrir mão da minha vida em sociedade, eu não acho que no meio do mato seria menos infeliz, pois mesmo lá eu ainda seria obrigada a lidar comigo mesma. Ou seja, eu apenas me livraria de 50% do problema, que se refere aos outros. Mas os outros 50% se tratam apenas de mim... E não tem como se livrar de mim. Poderia me matar, sim. Mas não vejo na morte solução nenhuma para meus "problemas".

     Ok. Me prolonguei mais do que devia. Apenas divaguei demais na última parte. Por isso tenho evitado aparecer por aqui. Não tenho nada de bom para agregar à vocês. Caso eu não apareça mais antes do Natal, desejo um bom Natal para quem comemora essa data. Aqui em casa minha mãe faz uma comidinha e trocamos presentes entre nós (eu, minha mãe e minha irmã), mas é apenas isso.  Então... Sei lá. Mas de qualquer forma, desejo um bom Natal para vocês. ♥

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Após um mês, dou as caras novamente.

      Olá.

     Ao contrário do que acontece na maioria das vezes em que sumo, dessa vez não saí da dieta durante o período fora e muito menos engordei. Pelo contrário, continuo emagrecendo de pouco em pouco. O peso atual (me pesei agora a pouco, as 01:15 am) é 65,600 kg. Não eliminei muito peso, mas ao menos não engordei, então tudo bem... Minha meta é concluir o ano fora da casa dos 60 kg, mas se não conseguir não irei ficar muito frustrada. Afinal, faz mais de 2 anos que não encerro um ano com menos de 80/70 kg, então estar na casa dos 60 kg é motivo de comemoração e não depressão.

     Minha falta de presença nesse blog tem se dado pelo motivo de eu não ter quase nada para dizer. Os dias são todos iguais: acordo, vou trabalhar, almoço no trabalho, chego em casa depois das 23h, leio ás vezes, durmo um pouco e tudo recomeça... Nos dias de folga eu durmo e jogo no PC. Não tenho novidades e muito menos algo interessante para contar. Infelizmente... Cheguei no estágio da minha vida que eu sempre previ: sem amigos (pois me afastei de todos), sem relacionamentos amorosos (não gosto de me envolver muito com pessoas), onde apenas trabalho e finalmente emagreço sem remédios e sem me descabelar tanto. Essa é minha vida. Tem sido bem vazia de sentido, graça e animação, mas é isso que ocasionei à mim mesma. Então não ouso reclamar e me contento com o quadro atual da minha vida. Se futuramente eu estiver preparada para que ela mude e se preencha com algo, farei por onde, mas no momento é esse vazio mesmo que devo viver.

      Peço desculpas por não comentar em vossos blogs. Mas simplesmente não tenho conseguido encontrar nada que preste para ser comentado. Quem me conhece sabe que não comento só por comentar. Não tenho tido ânimo e nem muita vontade de escrever, então... Mas continuo lendo vossos blogs sempre que são atualizados e acompanhando os posts de vocês. Se precisarem de mim, é só chamar que apareço. Mas a realidade é que ninguém precisa de ninguém. E no final  das contas me apercebo de que cada um de nós possui apenas à si mesmo com quem contar. A vida é isso. Quando você precisa, olha ao seu redor e não vê ninguém. O afastamento de algumas pessoas com certeza se deverá por culpa sua. Mas e as outras? Aquelas que você sempre valorizou, sempre correu atrás e que costumavam lhe dizer que sempre estariam ali, você precisando ou não? Onde estão? Pois bem... Elas somem também, pois se cansam de você independentemente de você ter ou não se cansado delas. Isso é irrelevante. O fato é que todos se distanciam e a vida é feita disso: distanciamentos e vazio que resta no lugar das relações pessoais que você um dia ousou gastar tempo para construí-las e até chegou a imaginar que fosse possível mantê-las. Mas não é. E a realidade é que ninguém se importa. E no final, você também não deveria se importar...

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Nada.

     Olá.

     Dia 31 eu me peso e a meta é 66 kg. Estou frustrada porque na última pesagem deu 68 kg, sendo que a outra tinha dado 67,300 kg. Eu engordei e sei os motivos. Não tive compulsões, mas tive algumas jacadas e sei que elas resultaram nesse acréscimo de peso.

     Tenho alguns objetivos para novembro... Um deles é fazer LF líquido por uma semana. O outro é o mais difícil e complicado, que já planejo há uns 2 meses, mas até o momento não obtive sucesso: parar de fumar. Como é difícil! Mas os motivos para parar de fumar são vários, e por incrível que pareça, o fato do cigarro dar câncer e matar, é o de menos para mim. Afinal, inúmeros alimentos dizem dar câncer, e eu não dou a mínima. Meus motivos são:

     - envelhecimento precoce da pele; me preocupo muito com meu rosto e minha pele, então imaginar que estou estragando ela ao fumar, me deixa bem puta...

     - dentes amarelados; meus dentes não são perfeitos, mas ao fumar eu só os deixo pior.

     - economia de gastos; consumo 80 reais do meu salário todo mês comprando os box (acho melhor do que maço) do meu cigarro, que por si já não é um cigarro barato (9,50 cada box).

     E há outros motivos, provavelmente, mas no momento esses são os que se passam na minha cabeça. Comprei meu último box de cigarro hoje e dia 1º será o primeiro dia oficial sem cigarro para mim. Já tentei largar outras vezes, mas nunca comentei com ninguém sobre isso por preferir sempre fazer as coisas sozinhas. Mas dessa vez decidi contar por aqui, pois quem sabe assim eu não me comprometo tanto quanto me comprometo quando o assunto é emagrecer. Vamos ver até onde isso vai dessa vez...

     Amanhã estou de folga, então hoje de noite irei passar nos blogs que sigo para comentar e me atualizar sobre vocês.

     Até.